Não somos os únicos – EP04 – O Ano do Dragão

Wang estava sendo torturado, por mechas brancos que o socavam enquanto um deles, preto de braços cruzados lhe fazia perguntas.

– Quem lhe deu o pacote?

Wang fica em silêncio. Surge então a mensagem na tela/rosto do andro branco dizendo em inglês “Engage” e um soco nas costelas de Wang veio logo em seguida. O grito estridente encheu o breu escuro com o ar macabro da luminária que balançava de um lado para outro.

– Para onde o pacote foi? Repetia a voz metálica. O que havia dentro dele?

Novos socos encheram o abdômen de Wang e os gritos voltaram a ecoar. Quando um novo soco estava prestes a ser desferido, surgiu na tela/rosto do andro uma nova ordem, “Disengage/Waiting” para em seguida estacar na sua posição e depois se recolher. Wang viu a tela/rosto do mecha se aproximar. As duas câmeras, pequeninos pontos vermelhos, no que poderia se chamar de face, mexeram-se por todos os pontos de seu rosto procurando sinais de mentira ou verdade em sua expressão. A voz mecânica anunciou:

– Você não sabe de nada, mas?! deveria saber…

De súbito, Wang acordou do pesadelo. Cheung estava ao seu lado com um prato quente de sopa.

cheung

– Você dormiu por dois dias inteiros. Pequim sabe que você está bem. Eles querem saber se…
– Se eu sei de alguma coisa sobre o pacote? O olhar de Cheung aguardava a resposta.
– Não, não sei de nada. Fiz questão de não saber. Cheung pareceu tranqulizado.

Wang se levantou com dificuldade. Estava enfaixado no peito e tinha um curativo na orelha.

– O serviço já me passou as ordens em relação a você Wang. Deram você como “comprometido” nos territórios então você não pode mais ser visto neles. Disse enquanto entregava um prato de sopa para Wang.
– Como o serviço sabe que estou comprometido se apenas nós, a Li e o Quon somos o serviço nos territórios?
– Porque não somos apenas nós.
– Quem mais sabe disso além de você?
– Não adianta me encher de perguntas, filho. Soube disso apenas ontem. Retorquiu Cheung com a testa franzida, mas viu Wang apertar os olhos e mudou para um tom mais conciliatório. Não me surpreendo com mentiras, não na minha idade. Pequim quer um relatório sobre teus contatos na cidade. Uma lista que seja…
– Não é possível você não saber de nada, mas você quer sempre saber de algo… Wang diz agressivo.
– Eu não sabia, mas não era óbvio que Pequim não ia contar só com cinco agentes em Hong Kong? Algum outro recurso nosso país deve estar usando para obter inteligência dos territórios. O que você quer mais deste velho comuna… uma aula sobre guerra estratégica?
– Em quantos dias? Assentiu Wang.
– Não pode passar de uma semana, conhece o protocolo. Sabe o que acontece se quebrá-lo.
– Você sabe o que eu vou fazer, se me atrapalhar vou saber que foi você.
– Não vai ser necessário… olha, eu posso atrasar nosso superior….você o tomou o ”chá verde” do kit… ficou chapado… Deu uma piscada, procurando evitar a tensão da desconfiança mútua. Já que você vai fazer merda, pega meu equipamento. Disse Cheung entregando uma placa de metal com cerca de 20 centímetros. Wang pegou e observou a placa e olhou agradecido a Cheung e depois saiu do prédio e depois de West Kowloon. Já sabia para onde ir.

***

O tenente Hao e seu assistente batem na porta do agente da inteligência. Já estavam esperando mais minutos que a paciência de Hao costuma suportar no departamento. Lia-se na porta um nome ocidental.

– O que significa esse nome, chefe? Pergunta o assistente de Hao.
– O que importa isso? não é o nome verdadeiro dele.
– Desculpe chefe, mas esses ocide… foi interrompido pela porta abrindo e um ocidental sorrindo os convida para entrar.
– Entrem, desculpem a demora mas…
– Quero a identificação dele, sr. Shirman. Interrompeu Hao.
– É Sherman.. Escute tenente, nós ainda não…
– Temos 4 minutos de vídeo do sujeito e não temos nem uma possível identificação? Já deixei tudo que sabia a dois dias atrás com a inteligência e não recebi nenhuma inteligência do seu departamento. Antes de Sherman esboçar uma reação Hao levantou da cadeira e saiu gritando em direção a porta.
-Vou procurar aquele espião sem a ajuda de vocês.
– Como você sabia que ele era um espião? Sherman perguntou ao se levantar da cadeira. Hao olhou para trás e sorriu.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s