Distopia – EP.#25 – Perseguição pelos telhados.

BRAZILDISC1-123_resizeQuase sem fôlego ela chega ao final da escadaria, a porta está aberta, dizendo que o sujeito estranho passou por ali. Alcançando o terraço ela dá um passo para trás colando as costas na parede, nunca gostou de alturas, sua determinação volta ao ouvir o barulho de latas de lixo derrubadas, ela corre em direção ao barulho mesmo quando seu corpo dá sinais de que não quer, além do estranho sujeito drogado seu próprio estado físico estava contra ela. – Droga… Preciso parar de fumar… Droga... – Como se não bastasse, o sujeito demonstra agilidade ao saltar de um prédio a outro, aterrissando no telhado vizinho com maestria,Bladerunner 2a X-9 quase grita de raiva, claro, se tivesse ar nos pulmões para isso. – Aaaaaaahhh, qualé!! Odeio esse cara! –  Sem pensar duas vezes ou avaliar o perigo ela toma distancia e salta. Quase arrependida, ela debate os braços e perna no ar, achando que não conseguiria passar para o outro terraço, mas consegue, uma jogada de sorte, e não por habilidade física. A perseguição continua, a chuva , as luzes e a fumaça saída dos dutos de ventilação e exaustores dificulta a visualização da “presa” se é que ele poderia ser assim chamado.blade105 Adiante ele destrói um letreiro de neon atravessando sem sentir nada ou reclamar. – Um completo animal… – Diz a si mesma ao ver a cena, ela passa pelo letreiro destruído sem precisar fazer o mesmo, só consegue acompanhar por que ele perde tempo e ritmo procurando entre as coisas do “negociador” os programas de recargas, por vezes ele se zanga, grunhe e volta a correr sem norte. Além de tudo existia o perigo de cabos elétricos soltos pelo terraço, isso combinado com o corpo molhado não seria uma boa soma, os entulhos eram obstáculos que só piora o caminho, e para desespero de X-9 o telhado chegava ao fim, no entanto como antes, isto não era problema para o sujeito drogado, que mais uma vez salto sem esforço e cai como um gato no topo do prédio seguinte, já ela hesitando tenta repetir o ato e insegura pula também, com a mesma forma desajeitada de antes, no entanto não tinha a mesma sorte, a hacker não consegue saltar por completo o espaço entre uma marquise e outra. suas costelas se colidem no parapeito do outro prédio, no entanto antes que caísse no abismo urbano, se agarra com desespero um tubo metálico da aglomerada estrutura de ferro da fachada, mas por estarem molhados seus dedos aos poucos começam a escorregar. e ela olha para baixo com pavorcaindoMerda! Merda! Merda… Eu vou morrer! Por que fiz isso?! – O grito de desespero chama a atenção do sujeito que interrompe a corrida e se volta para ver o que acontecia. Num ato inesperado ele ergue sua mão e segura o ante braço de X-9. Lentamente ele a resgata suspendendo-a sem dificuldades para o alto, olhando bem aos olhos dela, que sem entender para de gritar e olha de volta. Colocada no piso do terraço a sua frente, o sujeito parecia outra pessoa, não demonstrava agressividade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s